quinta-feira, 2 de maio de 2013

Armas / brinquedos em casa

Mais um aviso à nação... desta vez com armas/brinquedos. Sou mãe de rapaz mas nunca me senti tentada a comprar estes "brinquedos". Não por achar que o meu filho se tornará um serial killer mas porque, no meu espaço de brincadeira, não cabe o conceito de arma. Bisnagas de água, sim. Mas os restantes modelos, não. Nunca brinquei com pistolas, nem Barbies. Sei que o meu filho as tem e brinca com elas noutros contextos. Não me preocupo porque sei que está bem acompanhado, ou seja, que toda a sua espinha emocional não ficará cravada pela violência destes brinquedos. Faz falta sermos defensores dos bons, sermos cowboys, polícias, ladrões, matar os maus... mas prefiro um dedo com poderes mágicos, ou uma luta corpo a corpo. Já "morri" várias vezes, mas nunca fui abatida por uma arma. Mas este tema surge por causa da notícia que li hoje no Expresso. Chamou a atenção... eles compraram um brinquedo para ter em casa, mas não era inofensivo, era uma arma. Vale sempre a pena divulgar e confirmar se em casa há algum exemplar...

"No estado do Kentucky, um menino de cinco anos brincava, na terça-feira, com uma espingarda que lhe tinha sido oferecida pelos anos, no passado mês de Novembro.
A irmã de dois estava por perto e, acidentalmente, foi alvejada com um tiro no peito, acabando por morrer..."


Sem comentários:

Enviar um comentário