sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Por estes dias ... histórias de bruxas

Sim às histórias de bruxas. E porque não?
Se todos sabemos que elas existem porque não falamos delas? 
Se, em especial, as crianças conseguem identificá-las a  quilómetros de distância, porque não as contamos?
Sim às histórias de bruxas e com bruxas. Porque não?
Há duas histórias de bruxas que me enchem as medidas: "A bruxa Arreganhadentes" (Tina Meroto, ed. OQO) e "As bruxas" (Roald Dahl, ed. Terramar) . Gosto de as contar e acredito nelas. Durante um ano lectivo, com um 1º ano, utilizei o livro "As bruxas" como leitura diária. De capítulo em capítulo fomos fazendo caminho. Vivemos a história todos os dias. Eu pensei que alguns falassem aos pais daquela temática, mas não. A história e a temática são tão verdadeiras que é impossível nós queixarmo-nos delas. Terminámos o livro de 224 páginas e passámo-lo a outra turma, a pedido dos alunos. A turma terminou o livro e passou a outra, e por aí fora... A todos os professores que ficavam com o livro eu avisava que aquilo podia dar confusão com alguns pais. Só um. Só um se queixou de que a sua filha tinha tido pesadelos por causa daquela história. Só um precisou ouvir que os pesadelos surgem quando nós não os resolvemos durante o dia. Quando não nos resolvemos durante o dia. Pesadelos são máscaras de mim. 
Toda a escola andava entusiasmada. Chegou a feira do livro na escola (não me lembro em que altura do ano) e claro está que, a escolha de todos era o livro das Bruxas. Desde o 1º até ao 4º ano. Ainda tentaram (quem vendia os livros) convencer umas quantas turmas a não comprar o livro "Mas tu és do 1º ano, não sabes ler", "Para que é que queres isto, isto é tão grosso, não vais ler nada disso"... mas não conseguiram. Aquela história é verdadeira porque acontece todos os dias nas nossas vidas. Todos os dias nos cruzamos com bruxas. Sabemos quem elas são e as crianças muito melhor! E o que todos também sabemos é que elas existem, andam disfarçadas de pessoas normais, comem de forma normal, andam de forma normal, vestem-se normalmente, falam normalmente e não andam em cima de uma vassoura. Têm um carro, uma mota ou andam de transportes públicos. Pode ser qualquer um... até a pessoa que vos escreve estas palavras ;) 

Sem comentários:

Enviar um comentário