domingo, 26 de janeiro de 2014

Pelas ruas por onde hoje andei

Pelas ruas por onde hoje andei, encontrei o que precisava. Nao pisei pedra errada, nem ninguém me atropelou. Pelas ruas por onde hoje andei, encontrei portas abertas, janelas oferecidas ao sol e tudo era plano. Ruas limpas, sem guetos ou declives a dificultar a caminhada. Ruas definidas pelas raízes dos sobreiros, o brilho da seara e o branco caiado no chão. Não encontrei nenhuma bifurcação, nem semáforo fechado. Pelas ruas por onde hoje andei, apenas vi e senti, o que é fazer caminho no verdadeiro Amor da Amizade. É o caminho certo e eu, hoje, dei com ele!

2 comentários:

  1. Ontem passei a noite em casa de uma amiga. Uma amiga cuja casa é ladeada por caminhos esburacados, tantas portas e janelas fechadas, semáforos a piscar no vermelho e mesmo carregando insistentemente no botão do transeunte, este mantém o vermelho à passagem.
    Ontem foi uma noite diferente de mimos, brincadeiras e fantasias, porque, acima de tudo, há uma pequenina para alegrar.
    E não deixa de ser curioso o recorrermos à infância e à imaginação de "outras vidas", "outras pessoas" para nos divertirmos e esquecermos a dificuldade.
    E quando as vi rir perdidamente com as "cowboyadas" que estávamos para ali a inventar, pensei algo parecido com este beijo sabura, este é o caminho...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Façamos então caminho, Sandra! Obrigada pela partilha do teu momento Sabura!

      Eliminar