quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

"Educar para a Leitura e deseducar para o espancamento" ou "Os dias de um professor..."

Há... há humanos que continuam a bater nos seus filhos; um "bater" que não é uma palmada ou um açoite. Um bater que é de pontapé e espancamento. Uma pessoa com vários anos de vida contra uma pessoa com poucos anos de vida. Em nenhuma competição se vê este desequilíbrio de pesos e tamanhos. Adultos que surram os seus filhos, pessoas que cresceram dentro de si e que não pediram para nascer, até que estes deixem de acreditar no Amor. Num Amor qualquer. Amor eterno, Amor infinito, Amor incondicional. 
E ando eu aqui espantada porque ainda existem pessoas (mães e pais), deste século, a acharem inútil ler-se histórias aos seus filhos, desde a barriga... Há lutas que ainda são secundárias, apesar de eu as considerar tão primárias...

... fuck (desculpem o francês mas há dores de estômago que só resultam com este tipo de linguagem...)



Sem comentários:

Enviar um comentário