segunda-feira, 28 de abril de 2014

Ai Crispim, ai Crispim tu dás cabo de mim

É agora, meus senhores e minhas senhoras... é a partir de agora! E "partir" é a melhor palavra a utilizar, mas neste caso enquanto verbo! "Partir" no sentido de "quebrar algo". No meu caso, o "objecto" a partir é o tecido adiposo que faz questão de se colar à volta da minha zona abdominal e também, partir as bolas de celulite!

Sou licenciada em Educação Física mas sempre tive mais jeito para ginasticar com as palavras. Detesto ginásios e o culto do corpo cheio de músculos à varanda. A última vez que entrei num ginásio (a Única vez, foi há cerca de treze anos). Os meus exercícios físicos preferidos são: mexer a boca para falar, dançar em parafuso, fazer conchinha p'ra direita e abraçar. Os exercícios desportivos que melhor se colam a mim, desde o espaço de prática até ao resultado final, são a natação e o hatha yoga. Há cerca de um ano que não pratico hatha yoga (horário e vida não se conciliaram ainda) e natação, só de pensar em toda a logística, deixa-me cansada. Agora, aos trinta e oito outonos e dentro deste cenário, o meu corpo começou a dar-me conta do seu estado. Como?
ao acordar sentir o corpo pesado e "perro"
ao final do dia estar quase sem vitalidade física
"arfar" que nem uma cadela de cada vez que faço um sprint
dores de costas e joelhos... e, não descurando os sinais mais espirituais de cada um destes sinais, resolvi dar resposta ao corpo (acompanhado da mente) e inscrevi-me num ginásio... 

Mas porque raio foi ela inscrever-se num ginásio quando não gosta da música que por lá se ouve, não gosta do espírito, nem tão pouco do conceito?!

porque não estou sozinha... o meu treinador, o Crespim, é um amigo e pêras (em todos os sentidos), um grande profissional, colega de escola e vou acompanhada por uma amiga, também colega de escola... O melhor de tudo... nos dias de treino saímos os três da escola directos para o ginásio, ou seja, não há como escapar. O Local é pequeno e a música está suficientemente baixa para se irem ouvindo as asneiras uns dos outros.

Hoje foi o dia experimental... não vou aqui deixar o meu IMC, nem peso, nem tamanho de pregas, etc. a vergonha exposta seria maior que o meu tamanho. Vou deixando aqui o feed back de quem detesta ginásios, está inscrita num e quer, sobretudo, que o resultado seja visível no seu bem estar físico (se a isto se juntar um corpinho digno de biquini e "invejado", melhor ainda!).

DAY 1 - Chegada ao ginásio com dor de cabeça de há horas. Saltar à corda (respirar). Atar os pés a uns pesos (respirar). Rebolar as costas em bolas gigantes (respirar). Levantar pernas. Baixar pernas (respirar). Levantar glúteos. Baixar glúteos (respirar). Trocas as pernas (respirar). Destrocar as pernas (respirar). Peso nas mãos, tudo de novo (respirar). Tudo vezes quinze. Deslocar-me (confesso que só consegui com o rabo no chão) até ao tapete e respirar  Abdominais (respirar). Alongar (respirar). Descansar. Sorrir e acenar q.b. ... Dirigir-me ao carro e não saber andar, nem tão pouco conduzir. Felizmente não tinha o telefone para me "selfar" naquele momento. Mas a expressão era a mesma de quando estamos ouvir alguém e ficamos de boca aberta. Neste caso era mesmo a realidade porque não tinha força para a fechar. O Crispim foi impecável e atencioso! Eu também! E passadas algumas horas, anunciando-se que o pior ainda está para vir, já sinto algumas partes do corpo... partes essas com as quais não me cruzava há algum tempo! Mas esta é a melhor sensação física para mim, sentir que o corpo, no seu todo, mexeu!

Amanhã, se conseguir mexer os dedinhos, volto cá...

"Ai Crispim, ai Crispim tu dás cabo de mim", tenho dito!




     



2 comentários: