quarta-feira, 21 de maio de 2014

Lá não esqueço ...




Pelos vários Caminhos da vida, existem algumas estações onde eu paro com frequência. Outras há, que desconheço, ou por onde já passei e ainda não me senti cativada a entrar e explorar. Uma das estações que conheço e por onde passo todos os dias é a dos Espelhos. Lá, vejo e revejo a minha imagem reflectida. Sou eu em frente a um espelho e vários a serem reflectidos. Lá não esqueço que somos sempre um reflexo do outro, seja ele quem for e de quem sejam os seus reflexos.
E isto dá-me que pensar (e olhar) nas pessoas que me rodeiam e no meu Caminho de vida. 


3 comentários:

  1. Ainda no outro dia ía escrever algo sobre espelhos e reflexos no Aventuras Escritas, mas faltou-me o impulso e a motivação.
    Se não sabes como expressá-lo não vale a pena escrever.
    Mas... a propósito de estações e apeadeiros... acho estes último quase tão importantes como as estações, senão tão importantes.
    Os apeadeiros são benvindos, são motores para tantas estações, mas de alguma forma insuficientes apartir de uma determinada altura.
    Mas podem ser tão bonitos e cândidos e, quando chegados às estações ou porque ansiamos pelas estações, não lhes damos o devido valor. E depois essa beleza desaparece ou se transforma. Se é para melhor, quem sabe...
    Às vezes és o meu espelho, sabias? E quando me vejo reflectida nele sinto-me uma pessoa melhor.
    Era só isto :) Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não te baralhas em nada e tens muita razão! Os apeadeiros são mesmo fundamentais para chegarmos em condições à estação. Dam-nos tempo! Beijos e obrigada pelos teus reflexos também!

      Eliminar
  2. E relendo o que escrevi até eu me confundi.
    Só interessam mesmo as últimas duas linhas...
    Beijinhos

    ResponderEliminar