quinta-feira, 29 de maio de 2014

Ver por dentro, ver por fora


Às vezes fico dentro de mim, olho-me e vejo desejos, expectativas, fraquezas, conflitos, caos, promoções a que não consigo chegar, receitas que adoraria saber confeccionar, uma voz de fraco volume e um caminho solitário...

depois, e às vezes também,

deu um pulo para fora de mim, olho-me e vejo uma Mulher decidida, determinada, paciente, tranquila, com 4 quilos a mais, a empenhar-se no que acredita e a desistir do que não acredita, com uma relação muito saudável com o seu filho e a saber sonhar. E vejo-me Mulher, num caminho de terra e acompanhada por mais alguém...

Quando me olho por dentro os barulhos são ensurdecedores, a música desafinada, a luz pouca. Quando me vejo por fora os barulhos têm protecção de algodão, a música encadeada com os batimentos do meu peito e a luz é a de um pôr-de-sol.

Há dias que a Mª de Fátima me convida a ficar por dentro, há outros em que a Pilar insiste em irmos sairmos.   

Se calhar o melhor mesmo será eu e a Pilar, convidarmos a Mª de Fátima a sair, oferecermos-lhe um gin, um sushi, uma entrada gratuita num festival, um táxi para voltar a casa e uma torradinha para o deitar! Dessa forma talvez consigamos sorrir para a Mª de Fátima  e ela para nós!

2 comentários: