quinta-feira, 19 de junho de 2014

Dos "don't like you" das redes sociais


De vez em quando acontece. E acho normal acontecer. Não acho que seja grave ou que afecte mais do que a coisa está afectada. Na realidade falo do "desamigar" pessoas da rede social Facebook. De vez em quando acontece, ora porque as pessoas eram só amigas-do-amigo-do-amigo e afinal de contas o que elas partilham não se cola à nossa pele; ora porque não apetece ver tanta notícia; ora porque a vida real fica melhor sem a vida virtual.

O termo "Amigo" foi esticado e carimbado ao máximo e agora, aos conhecidos chamamos, na vida virtual, "amigos", mas na vida real continuam "conhecidos"; os amigos da vida real continuam a sê-lo, mas às vezes na vida virtual passam "conhecidos" e deixamos de os ter na vida virtual. Provavelmente esta última situação será a menos comum, mas que existe e que não acarreta (no meu ver) problema à vida real. 
Há pessoas que são os maiores companheiros da vida real e que não se conhecem na vida virtual; outros que só se conhecem da vida virtual e que nunca se viram na vida real.

Há todo o tipo de ligações na vida real e também na vida virtual. Uma alimenta uma coisa, outra alimenta outra. E cada um sabe o que quer alimentar. Uma das coisas que eu não alimento é saber das pessoas, que conheço na vida real e me são próximas, unicamente pelas redes sociais; e também não alimento a minha rede social com alguma situação que não me seja agradável, porque, afinal de contas, aquilo serve-me para partilha e recolha de informação, numa rede de pessoas com os mesmos interesses que os meus, e não para sofrer. 
Já retirei pessoas por todas as razões válidas para o meu bem-estar. E fico espantada quando comento isto com alguém e do outro lado me respondem "não faças isso", "achas mesmo necessário?!", "então e depois?!"... hellloooooo é só uma rede virtualmente social que não serve MESMO para dar chatice!! Não me apetece olhar para o ecrã e ver aquele(a) "amigo(a)", pode ser só isso? Ou "não me apetece nunca mais ver a cara daquele "amigo" nem no virtual", pode ser?! Ou, "o gajo só metia fotos de futebol e partilhava notícias do Correio da Manhã", pode ser?! Ou "o senhor era apoiante do partido X e falava mal de todos os outros"? Ou "só porque não me apetece vê-lo(a)"

 Continuam a existir moradas, endereços de email, números de telefones, pontos de encontro, cafés centrais para quem quiser e precisar do Real-Social.

Mas que raio, só porque uma pessoa não quer chatice em frente ao ecrã é dada como inimiga na vida real?! Ou a vida real está a mesmo a tornar-se socialmente virtual?! 

  

1 comentário:

  1. Eu acho que a vida real e "vida" virtual estão perigosamente cada vez mais interligadas.
    Mas vendo bem, a sua base é a mesma: pessoas... reais.
    Não nego que um comportamento ou atitude virtual já tenha "melindrado" a vida real. E vice-versa.
    Como em tudo o resto, deve prevalecer a sensatez e o respeito. Isto generaliza muita a coisa, eu sei.
    No real, quando algo não nos cativa até não deixa de ser fácil afastarmo-nos sem causar "estragos". Já o desamigar virtual consegue mexer na ferida. Olha, quem anda à chuva molha-se :)
    E livra-te de me desamigares... temos caldo entornado. loolololol

    ResponderEliminar