terça-feira, 12 de março de 2013

Brigadas de Trânsito Emocional

E quando uma Brigada de Trânsito nos manda encostar e automaticamente o nosso consciente e inconsciente nos dizem que somos os maiores criminosos mesmo tendo tudo em ordem... isso é?! ... Receio que sejam injustos connosco, que possam descobrir alguma coisa que até então nos passou ao lado, que embirrem com a forma como tínhamos as mãos no volante ou que nos avariem a máquina de sopros só para enchermos os cofres do estado... Várias vezes fui mandada parar pela Brigada de Trânsito. Ando sempre com a minha BemHaja para todo o lado e em distâncias relativamente longas. Há dias/noites que consigo ser mandada parar duas vezes e por norma, a conversa com o segundo agente começa desta forma: "Outra vez? Hoje saíram as carrinhas pretas na rifa! Já me mandaram parar na Rua x e agora na Y!"... Também por norma os Srs. agentes dizem entre dentes: "ai sim? E o meu colega autuou-a por alguma coisa?" e eu, que tenho um medo que me pele de lhes mentir, respondo sempre a verdade (imagino-os depois a falar nos seus modernos walkie-talkie e a verificar tudo). "E alcool? Ingeriu algum alcool nos últimos 40 minutos?" e eu respondo sempre em verdade (sou muito responsável neste assunto, e o que me leva a não misturar as duas técnicas - beber e conduzir - é por questões de segurança e pela vergonha de ficar com o cadastro manchado com alcool... são nódoas difíceis de sair).E hoje de manhã lá estavam eles na operação stop. Assim que os vi as minhas terminações nervosas começaram a latejar, os maus pensamentos a apoderarem-se da cabeça e as rezas a tomarem conta dos espaços em branco no cérebro. A sensação de estar ilegal, dentro da maior legalidade. Parei sem bater em nada e abri a janela. Cumprimentos dados e pedidos feitos. Troquei um ou dois pedidos mas foi tudo rectificado. E eis se não quando surge a pergunta "A menina Rita está bem? " O quê?!!!!!! Se os meus olhos estavam a tremer de medo passaram naquele instante a estar esgazeados de espanto a olhar para o agente. Se eu estou bem?!?! O Sr agente quer saber qualquer coisa mais sem ser as legalidades da minha BemHaja?!?!?!? Olhei-o e ele voltou a repetir "A menina Rita está bem? Está com um ar muito cansado". A minha estupefação era maior que o meu medo, a norma fugiu e hoje veio o extraordinário. E claro está que, quando se anda em mudanças de vida e o ego está mais frágil, os meus olhos se encheram de brilho aquoso e apenas respondi "É a vida. Não está fácil para ninguém, não é?!" O Sr. agente respondeu que não, que não está fácil para ninguém, despediu-se e mandou-me avançar. Da próxima vez, quando uma Brigada de Trânsito me mandar encostar espero que, automaticamente o meu consciente e inconsciente, não me deixem com os olhos em brilho aquoso, quase a saltar para o colo do Sr. agente a pedir-lhe colo e festas na cabeça! Espero que passe a ser norma perguntarem-nos, de coração aberto,  se estamos bem. Isso sim, seria um bom exercício de segurança pública.
Ou então existirem umas Brigadas de Trânsito Emocional ou de Colos. Mandavam-nos parar, pediam os chocolates e demais elementos calóricos que matam a saudade, os desgostos de amor, as preocupações, os maus pensamentos e  perguntavam-nos: "E a menina está bem?! Deixe lá medir a pulsação do seu coração! Eh lá isto está acelerado. Deixe ver os seus olhos... estão felizes. Ok, pode seguir". Ou... "E a menina está bem?! Deixe lá medir a pulsação do seu coração! Pessoalllllll temos uma reanimação a fazer! Tragam o mp3 e as colunas." Colunas junto ao peito...3,2,1 paff. Carga máxima no volume de um som bem alegre. "E agora deixe lá ver os olhos... pessooaalllll tragam a cama de rede para junto desta menina, 10 minutos de embalo, com cafunés, essências de mar, sucos frescos, palavrinhas doces e boas recordações!" 
E assim se renovavam as boas energias e se fazia um verdadeiro trabalho de segurança ao cidadão...


2 comentários:

  1. Hummm.... quando regressar a terras lusas acho que temos de 'falar' :))))))))

    ResponderEliminar