segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

29 de fevereiro 2016 , ano bissexto

29 de Fevereiro do ano 2016.

Hoje temos mais vinte e quatro horas para viver. 

Hoje temos mais vinte e quatro horas de Tempo. 

Hoje todos nós tivemos mais vinte e quatro horas para dar e receber. 

Eu dei. Eu recebi. E um dos meus Presentes neste dia foi uma provocação, em forma de pergunta:

"E se o Tempo parasse, mas só para alguns, perdidos nas pregas do Tempo?"

Aceitei este presente e dei-lhe a seguinte volta ao laço:

"Nós moramos na barriga do Tempo" Bartolomeu Campos Queirós . Se o Tempo parasse sentava-me num vão de escadas, com o Sol a aquecer-me as linhas que o tempo me marcou no corpo, e desembrulhava o Passado. Escutava-o num programa de rádio, na frequência 29.2, e de seguida embrulhava todas as suas memórias em papel de carta, amarelecido pelo Tempo e com cheiro a lareira. Depois, desembrulhava o Presente, com muito cuidado e com as folhas embrulhava o Futuro para que, para sempre, fossem  um Presente"


Ainda vão a Tempo de parar o Tempo... 

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

TUDO AVARIA


Sabem quando tudo na vida começa a avariar? Depois de várias avarias ao longo dos últimos tempos, hoje, depois de mais uma avaria, andei a comparar as avarias "externas" e "internas" da Vida. Não há coincidências, certo? 



TUDO AVARIA

Avaria o radiador que gera o frio

Avaria o termostato que gera o calor da paixão;

Avaria o radiador do ar condicionado que acalma o calor

Avaria o amor e gela o corpo;

Avaria o vidro do carro e permanece aberto

Avaria a porta do amor, empena e fecha;

Avaria o telefone e não há recuperação

Avaria a conexão;

Avaria o depósito da água para os vidros

Avaria a capacidade de ver o horizonte;

Avaria o pneu que faz movimentar

Avaria a marcha do encontro;

Avaria o computador que armazena

Avaria a minha emoção, a minha razão;

Não sou avariada, não. Posso ser a Variada mas Avariada, não.

Que peça falta? 

Que mecânico concerta coração?

Cansada de estar na fila de espera da Oficina.

Depois disso só os meus pés me agarrarão à estrada, não quero mais pneus, radiadores ou máquinas

Depois disso passarei a amar andando, passarei a andar amando, 

e nunca mais entrarei numa oficina, a não ser na minha

sem fila de espera, sem cobrança, sem recibo. Só eu.

(no final desta escrita o computador que armazena, ressuscitou... levou-me isto a pensar que tenho de largar muitas coisas que armazeno cá dentro, arrumá-las num "coração externo" e só lá voltar de vez em quando) 

   

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

faz parte





"faz parte deixar para trás

faz parte planar e picar

faz parte descer e queimar

faz parte deixar de acreditar

faz parte pisar o chão

faz parte deixar de iludir

faz parte não olhar em frente

faz parte não voltar a querer

faz parte querer lutar mais

faz parte deixar ir

faz parte voltar a subir

faz parte voltar a rasgar

faz parte deslumbrar

faz parte voltar a sonhar

faz parte voltar a sorrir

faz parte começar outra vez

faz parte ir atrás

faz parte sonhar"





segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Black and white, really?


Não são black and white...tem tanta, tanta cor no olho de quem vê 

Orgulho no meu fotógrafo "a luz do meu Farol, que me faz brilhar mais que o Sol"



#guerreirodevozbranca #8

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Carnaval e a tradição do ocidente



Ensinaram-te a gostar dos outros e não a gostar de ti. Ensinaram-te a mascarar para os outros e não seres tu. Ensinaram-te a responder aos outros e  não a responderes a ti. E hoje sentes-te preso a tudo, e sem nenhum lastro a lado algum. 

O carnaval serve para isso, para voltarmos a ser o que sempre quisemos mas não nos ensinaram, não validaram ou nem educaram para tal. E para isso vestimos o fato de super herói, louco, certinho, rebelde, diabólico, curador, mulher, homem, e desta forma somos quem queremos ser. Envolto em folia, que só assim o Homem se solta e volta a ser Menino.

Três ou quatro dias de folia, mascarados de quem, no íntimo, desejamos ser. Desejamos ser mais loucos, mais audazes, mais corajosos, mais claros. Desejamos ser mais corajosos, audazes, atentos ou sensíveis como os Meninos mas na pele do Adulto.

Que amanhã se coloquem as máscaras de Menino e se deixe em casa as de Adulto...