quarta-feira, 31 de julho de 2013

Às voltas...

Em momentos de decisão preciso andar, andar, andar e de preferência às voltas, em períodos de curtas distâncias. Melhor que roer unhas, comer chocolate ou arear tachos... E desse lado? Também precisam destes movimentos embalatórios?

terça-feira, 30 de julho de 2013

Entre Balanças e Peixes

Sou balança de signo e como tal, deveria ser respeitado o facto de nós não conseguirmos decidir o futuro apenas com a opção de "sim" ou "não". Não gostamos de instabilidade, mas ela vem sempre parar ao nosso prato. Cortamos os pulsos pela paz, estabilidade e justiça no mundo, e como tal, todos os dias Eles Fazem questão de nos colocar à prova. "Habituamo-nos" a viver fora da monotonia, mas sempre em contra peso com a Decisão. O meu ascendente Peixes dá-me uma indecisão maior: decidir com a emoção.
Detesto quando a distância do Futuro se mede em três letras...

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Mais uma volta, mais uma rodada, menina bonita não paga mas também não entra...

Ontem foi dia de Feirinha com direito a fartura, música de feira, confusão de feira, gente de feira, artesanato de feira. Não me lembro dos preços das diversões há trinta anos atrás, hoje sei que uma ida à feira representa uma lição de contenção a todos os níveis. Questões orçamentais e educativas levam à escolha certa e consequentemente ao brinquedo certo. Não é fácil, e nós sabemos. Cada viagem custa dois euros, e as que demoram mais eleva para três. O melhor esquema é levar uma quantia certa para gastar e ir fazendo contas de dividir e subtrair. A única conta de somar que podemos fazer é do prazer e a alegria dos mais pequenos. Aos adultos resta suspirar de nostalgia. 
No meu caso aparece a Nostalgia da "Feira Popular de Lisboa" onde não faltava a fartura, a Casa dos Espelhos, a Casa Assombrada, os carrinhos de choque, os Senhores dos restaurantes a insistirem que entrássemos no seu espaço, os tiros ao alvo, lançamentos às latas... Era um espaço ritual. Todos os que por lá passaram lembram-se de cada momento, desde o bilhete de entrada aos longos passeios a pé, à escolha do entretenimento certo, à feira dos móveis, as guloseimas, os "sinais de má disposição" de quem saía das autênticas máquinas de lavar, até à triste saída. 
Apaga-se a luz do sol para dar lugar à dos carroceis... mais uma volta, mais uma rodada, menina bonita não paga mas também não entra...






sábado, 27 de julho de 2013

Notícia de última hora: "Vulcão entra em erupção devido a um melão"

Acreditam que um melão tem força suficiente para colocar um vulcão em erupção?! Eu assisti a este espectáculo hoje. A imagem pode fazer lembrar o Esquilo pré-histórico e a sua perseguição à bolota (filme Idade do Gelo),onde um simples deslize do animal faz colapsar o mundo, e é mesmo verdade.

Estavam completas as treze horas, centradas no meridiano de Greenwich, quando tudo aconteceu. Um pequeno melão branco, de origem nacional (PT), bem fresquinho e redondo, rebolou no sentido da cratera do vulcão. Cumpriu o seu trajecto mas a sua missão não era somente entrar e por ali permanecer. O seu objectivo final era perturbar, massacrar, talvez até fazer doer a alma daquele pedaço de terra aberta. É certo que, cerca dessas treze horas o sinal foi dado: o melão encheu as pevides de ar quente e enfrentou o vulcão. A sua presença bastou para fazer ressoar nas paredes do vulcão a sua força, e com ela desmembrar um pedaço das suas paredes. As ondas de choque sentiram-se nesse exacto momento, e minutos depois, a quilómetros de distância. Aguardamos a qualquer instante as notícias de um tsunami em território nacional. Todo o mundo está em alerta. O mundo está a mudar. Há agora uma falha naquele pedaço de terra gigante e poderoso. Os danos colaterais estão ainda por avaliar. Nas primeiras notícias ouviu-se: "Após os abalos sísmicos de  15 e 21 de Maio, registou-se ao início desta tarde, a erupção do vulcão, situado na zona sul litoral de Portugal. A terra voltou a tremer, mas desta vez com maior intensidade, provocando danos visíveis".
Tamanho acontecimento unicamente nos avisa que somos uns sortudos em poder agradecer à vida todo o amor que nos rodeia.  Mais uma linha de tempo se traçou e no nosso corpo ficou escrito: "Caiu o primeiro dente do meu filho"

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Inventamos tudo


Conhecem aquelas alturas da vida em que as tarefas que nos rodeiam causam mais repulsa do que o azeite à água?! É o que se passa por cá, infelizmente. E por isso, inventamos mil e uma coisas para fazer. É nestas alturas que reparamos que as nossas janelas em vez de transparentes estão opacas; que a cadela precisa mesmo ser tosquiada; que o candeeiro precisa ser mudado, o chão afagado; que tens de organizar os recibos para o IRS do ano que vem; que tens mesmo de dar uma arrumadela aos teus livros; que já é altura de organizar os documentos que tens vindo a ler; que precisas visitar aquela tua vizinha que já há tanto tempo te convidou para um café; que precisas montar aquele "IKEA" que estava na caixa desde o ano passado... incrível ... Tudo isto com a agravante de ser a altura em que preferimos mexer os maxilares, em vez do cérebro. A foto acima foi o petisco eleito para hoje... pevides com sultanas brancas e umas bolachinhas de areia! Vou longe, sim... mas qualquer dia fico por perto porque não consigo atravessar as portas! 

5.30 da manhã ou da noite

Há momentos em que o corpo e a alma andam de candeias às avessas. Proclamam-se como regiões independentes e autónomas. O dia começou pelas 5.30 da manhã, ou da noite, depende da vontade do relógio biológico. O alarme soou, o corpo levantou-se, mas a alma permaneceu em paz, deitada. O frio e a humidade despertaram o corpo que reclamava não ter ficado a fazer companhia à sua alma. Cá fora, a noite tentava despedir-se, mas era o som dos altifalantes do Festival que lhe lembrava o seu compromisso com o fuso horário. O corpo caminhava com um sentido e um propósito, tal como a alma permanecia esticada e imóvel mas noutro sentido e noutro propósito. Corpo erguido, anestesiado, alma estendida, desperta. No instante seguinte, a alma clamou pelo corpo, chamou-o e virou-o para o epicentro daquele momento. Um casal cruzava o caminho. Ele e ela, com corpos na casa das seis dezenas, passos acelerados e mãos entrelaçadas. Seguiam na direcção dos transportes, cada um com uma mala na mão. Ele com vestes claras e descontraídas e ela  de vestido castanho escuro e cabelo amarelo. Mas foram aquelas mãos e aquele passo apressado que me despertaram o corpo. Após tantos anos, ele e ela continuam a caminhar juntos, com as mãos dadas, protegendo-se um ao outro, nos momentos bons, nos maus, nos apressados, nos corriqueiros, nos banais... ou, provavelmente, todos os seus momentos são especiais e preciosos. O meu corpo despertou e a alma anestesiou.

sábado, 20 de julho de 2013

Thank you all


Entrada  -  Visualizações de páginas - 20julho2013

Portugal

66

Rússia
22

Brasil
11

Estados Unidos
7

China
4

Cingapura
2

Holanda
1

Sérvia
1

(Gosto tanto de viajar nesta maionese das visualizações e imaginar-me nestes ponto do Globo...)

Não há acordo

Esta noite, em Lisboa, houve Acordo... entre a Lua e o Tejo





sexta-feira, 19 de julho de 2013

Abraço de Mãe

Entretanto, encontrei este Abraço de Mãe do Pierre Aderne. Gosto desta voz e deste embalo. Mais dois Abraços a acrescentar à lista Sabura

Abraço de Mãe - é escudo e protecção

Abraço Ultramarino - como diz a minha amora que está por terras de Vera Cruz  "tb há o ultramarino... sem toque físico, mas com muiiiiiiiita ternura e o tamanho do mar que nos separa"

A braços com abraços

Abraço suspirado - quando dois corpos se tocam, param o tempo e passados alguns segundos o suspiro faz deitar cá para fora tudo o que não pertence aos dois participantes daquele momento. Os braços envolvem o outro na totalidade, puxam para si os ombros e devolvem a paz

Abraço conveniente - quando dois corpos se juntam na zona da cintura escapolar, e uma mão se cola numa omoplata do adversário

Abraço cúmplice - quando dois corpos se encontram, falam em segredo repondo as boas energias

Abraço solidário - quando dois corpos se tocam do tronco para cima, e um fica totalmente disponível a resgatar o outro

Abraço solitário - quando um corpo não encontra o certo para abraçar, e abraçasse a si mesmo. Os braços cruzam-se à frente do peito e as mãos agarram os ombros 

Abraço sincero - quando dois corpos se juntam e as memórias da pele voltam a encontrar lugar no presente

Abraço abrigo - quando dois corpos de encontram e um guarda o outro num lugar secreto

Abraço deslocado - quando dois corpos se encontram, mas um está deslocado da geografia emocional do outro

Abraço veloz - não é abraço, é uma espécie de empurrão

Abraço apaixonado - quando dois corpos se juntam numa pegada forte, com jeito de cintura, amassos e curvas perigosas

Abraço voador - quando dois corpos correm numa maratona  de saudade e, no cortar da meta, um eleva o outro ao ar e com ele desenha círculos no ar

Abraço autoritário - quando dois corpos se encontram e as suas mãos dão "pancadinhas" ao de leve nas costas um do outro, como que a lembrar quem manda ali. Os olhos mantém-se abertos, sempre alerta

Abraço dançado - quando dois corpos se encontram e dançam na felicidade do encontro. É apertado e balanceado

Abraço concha - quando dois corpos se encontram  na  horizontal, os braços e as pernas entrelaçam-se fortemente no outro, os troncos tocam-se e os ouvidos contam segredos um ao outro

Abraço em bicos de pés - quando dois corpos se encontram e os pés esguios de um se levantam como que a levantar voo

Abracinho - quando um corpo grande e velho se encaixa num corpo pequeno e jovem, e os dois fazem prolongar a vida

Se mais tiverem a acrescentar à lista e quiserem partilhar, por favor... 

Desejos de sorrisos, abraços e olhares sinceros

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Mandela Day


O desafio de hoje...  dar 67 minutos a uma boa causa. Mandela deu-nos 67 anos de exemplo de luta, e nós conseguimos pelo menos 67 minutos?! Doar tempo... aqui fica o desafio

"Até 2009 havia dedicado 67 anos de sua vida a serviço da humanidade - como advogado dos direitos humanos e prisioneiro de consciência, até tornar-se o primeiro presidente da África do Sul livre, razão pela qual em sua homenagem a ONU instituiu o Dia Internacional Nelson Mandela no dia de seu nascimento, como forma de valorizar em todo o mundo a luta pela liberdade, pela justiça e pela democracia"

É um homem que inspira pelo seu sorriso, pela sua capacidade de perdoar, lutar. De afirmar que é a música e da dança que o fazem ficar em paz com o mundo e consigo. Um homem-terra, um verdadeiro guerreiro.

O que podemos fazer em 67 minutos ao serviço da humanidade?!

Aqui ficam algumas propostas, entre 67 minutos a 6700 horas, quem se atrever a mais alguma partilhe...

67 MANEIRAS DE MUDAR O MUNDO

Pense nos outros

1. Fazer um novo amigo. Conheça alguém de um contexto cultural diferente. Somente através da compreensão mútua podemos livrar as nossas comunidades da intolerância e da xenofobia.
2. Leia a alguém que não pode. Visite uma casa local para cegos e abra um novo mundo para alguém.
3. Corrigir os buracos na sua rua ou bairro.
4. Ajudar no abrigo animal local. Cães sem casas ainda precisam de uma caminhada e um pouco de amor.
5. Saiba a partir de sua biblioteca local se tem uma hora da história e oferecer para ler durante a mesma.
6. Ofereça-se para levar um vizinho idoso que não pode conduzir para fazer suas compras / tarefas.
7. Organize um dia de limpeza de lixo na sua área.
8. Obter um grupo de pessoas para cada malha um quadrado e fazer um cobertor para alguém em necessidade.
9. Voluntário em sua estação de polícia ou organização religiosa local.
10. Doar suas habilidades!
11. Se você é um construtor, ajudar a construir ou melhorar a casa de alguém.
12. Ajudar alguém a obter a sua / seu negócio fora da terra.
13. Construa um site para alguém que precisa de um, ou por uma causa que você acha que precisa de apoio.
14. Ajudar alguém a conseguir um emprego. Montar e imprimir um CV para eles, ou ajudá-los com suas habilidades de entrevista.
15. Se você é um advogado, fazer algum trabalho pro bono por uma causa que vale a pena ou pessoa.
16. Escreva para o seu conselheiro área de cerca de um problema na área que requer atenção, que você, em sua capacidade pessoal, são incapazes de atender.
17. Patrocine um grupo de alunos para ir ao teatro / zoo.

Ajudar para uma boa saúde

18. Entre em contato com suas organizações locais de HIV e descubra como você pode ajudar.
19. Ajudar em seu hospício local, como funcionários muitas vezes precisam de apoio, tanto quanto os pacientes.
20. Muitas pessoas com doenças terminais não têm ninguém para conversar. Tome um pouco de tempo para ter uma conversa e trazer um pouco de luz do sol em suas vidas.
21. Converse com seus amigos e familiares sobre o HIV.
22. Faça o teste de HIV e encorajar seu parceiro a fazê-lo também.
23. Pegue um saco cheio de brinquedos para um hospital local que tem ala infantil.
24. Tome membros mais jovens de sua família para um passeio no parque.
25. Doar alguns suprimentos médicos para uma clínica da comunidade local.
26. Leve alguém que você conhece, que não pode pagá-lo, para obter os seus olhos testados ou os dentes marcada.
27. Asse algo para um grupo de apoio à sua escolha.
28. Iniciar uma horta comunitária para incentivar a alimentação saudável em sua comunidade.
29. Doar uma cadeira de rodas ou cão-guia, a alguém em necessidade.
30. Criar um pacote de alimentos e dá-la a alguém em necessidade.

Torne-se um educador

31. Ofereça-se para ajudar na sua escola local.
32. Mentor um leaver escola ou o aluno em seu campo de especialização.
33. Treinador uma das atividades extramuros a escola oferece. Você também pode se voluntariar para treinar uma atividade extra-muros da escola não oferece.
34. Ofereça-se para dar aulas em uma disciplina escolar você é bom.
35. Doe seu computador antigo.
36. Ajude a manter os campos de desporto.
37. Arrumar uma sala de aula, substituindo janelas quebradas, portas e lâmpadas.
38. Doe um saco de material de arte.
39. Ensinar uma classe de alfabetização de adultos.
40. Pinte salas de aula e prédios escolares.
41. Doar seus livros antigos, ou quaisquer outros bons livros para uma biblioteca escolar.

Ajudar aqueles que vivem em situação de pobreza

42. Compre alguns cobertores, ou pegue o que você não precisa mais de casa e dá-los a alguém em necessidade.
43. Limpe seu armário e doar as roupas que já não usam a alguém que precise deles.
44. Montar cestas de alimentos para uma família carente.
45. Organizar uma venda de bolos, lavagem de carros ou venda de garagem para caridade e doar os lucros.
46. Para os mais pobres dos pobres, sapatos podem ser um luxo. Não acumular-los se você não usá-los.Passá-los!
47. Voluntário em sua cozinha sopa local.

Cuidados para a juventude

48. Ajuda em casa ou orfanato para crianças locais.
49. Ajude as crianças com seus estudos.
50. Organizar um jogo amigável de futebol, ou patrocinar as crianças para assistir a um jogo no estádio local.
51. Treinar um time de futebol e fazer novos amigos.
52. Doar equipamentos desportivos a um abrigo para crianças.
53. Doe brinquedos e livros educativos para um orfanato.
54. Pinte, ou reparo, de infra-estrutura em um centro de orfanato ou juventude.
55. Alguém Mentor. Arranje tempo para ouvir o que as crianças têm a dizer e dar-lhes bons conselhos.

Valorize os idosos

56. Se você tocar um instrumento, visite o seu lar de idosos local e passar uma hora jogando para os moradores e funcionários.
57. Saiba a história de alguém mais velho que você. Muitas vezes as pessoas esquecem que os idosos têm uma riqueza de experiência e sabedoria, e, mais frequentemente do que não, uma história interessante para contar.
58. Leve uma pessoa idosa compras de supermercado, eles vão apreciar sua companhia e assistência.
59. Leve o cachorro de alguém para uma caminhada, se eles são demasiado frágil para fazê-lo eles mesmos.
60. Mow gramado de alguém e ajudá-los a consertar as coisas em torno de sua casa.

Cuide bem do seu ambiente

61. Se não há centros de reciclagem na sua área, a petição seu conselheiro área para fornecer uma.
62. Doe árvores nativas para embelezar bairros nas áreas mais pobres.
63. Recolha jornais velhos de uma escola / centro / hospital da comunidade e levá-los a um centro de reciclagem.
64. Identificar bueiro aberto cobre ou os esgotos em sua área e comunicá-las às autoridades locais.
65. Organizar a empresa / escola / organização que você trabalha com a desligar todas as luzes desnecessárias e fontes de alimentação à noite e nos fins de semana.
66. Envolver-se com pessoas que maca e veja se você pode convencê-los do valor do ambiente limpo.
67. Organizar para limpar seu parque local, rio, praia, rua, praça ou recintos desportivos com alguns amigos.Nossas crianças merecem crescer em um ambiente limpo e saudável.