quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Pão por Deus !!! Bolinhos, bolinhos em louvor de todos os santinhos !!!

Pão por Deus vs Halloween 

Não gosto quando perdemos as nossas heranças e adquirimos outras, que se sobrepõem, e que vão acabando com a nossa. Tenho alguma resistência a este fenómeno, é verdade. Cultura é movimento, acção, mas também  herança. Quando eu era pequena comemorava o Pão por Deus, religiosamente (nos vários sentidos da palavra) a 1 de Novembro! Em Portugal, neste dia, é o dia Todos os Santos. Na zona de Tomar juntávamos todos os primos e batíamos as estradas, atalhos, armazéns, lojas e casas. Todos levávamos um saco numa mão e na outra a esperança de guloseimas (pastilha, rebuçados, bolachas, broas, bolos de erva doce, castanhas, figos). O nosso pregão não pedia doces ou travessuras. A nossa voz apenas solicitava que as pessoas nos enchessem os sacos, por Deus ou pelos Santos. E, felizmente, naquela zona, toda a gente dava, mesmo percebendo que não necessitávamos. Mas, quem passava verdadeiras dificuldades, recebia neste dia a sua dose! Para mim, o mais marcante era a liberdade que tínhamos para desaparecermos pela manhã e só chegarmos passadas umas horas. Provavelmente os adultos sabiam que, com aquele peditório, à fome não morreríamos. Não me lembro de haver alguém a recusar a nossa cantoria. 
"Pão por Deus!!! Pão por Deus!!!"
"Bolinhos, bolinhos em louvor de todos os santinhos!"

Era festa e, este ano, vai voltar a ser !!! 

A Naifa

Ontem foi assim...



Não se acabaram as canções!

Um povo vendido jamais será unido!

Um povo unido jamais será vencido!

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Lareira

É das coisas boas no tempo frio. Ter uma lareira. Os meus avós e os meus pais sempre me disseram que "O fogo é uma companhia". Eu nunca tinha percebido porquê, até morar sozinha, numa casa com lareira. É companhia porque é vida. É uma vida que se move, acelera, abranda, provoca-nos sensações na pele, aquece-nos, ilumina-nos. Para o  lume estar acesso é necessário cuidar dele. Antes, durante e  depois, tal como as nossas outras companhias. Fogo é companhia, tinham razão pessoas crescidas e solitárias! Eu... gosto dele. Gosto de ficar a olhá-lo, de adormecer à sua frente, de partilhar um vinho tinto e um sushi com ele. É aconchego. Hoje, foi o primeiro dia de lareira cá em casa... sintam-se aconchegados e aqueçam as vossas almas


Mãos e olhos: Rita Alves
Lugar: casa


Fascínio Nazaré Blow Up

Há cerca de uns anos atrás, muito contrariada, fui em direcção a uns dias de surf. "Apenas um dia, ok?! Preciso de férias!". Pois sim. Fiz um dia, dois, três, quatro, cinco dias de aprendizagem de surf, na nossa bela costa Vicentina, mais concretamente na praia da Cordoama. Fui contrariada porque queria descansar, não me apetecia esforço algum. Depois das primeiras horas a perceber o que é um shop, uma prancha, espuma da água, fato-de-surf ...senti que o meu corpo gostava daquilo e queria continuar. É bom ter o corpo cansado de exercício físico (nem todo... a meu ver. Para mim este cansaço pode resumir-se a surf e ioga). Sei que, no final de dois dias dentro das turbinas da mãe natureza, eu não conseguia fazer a ligação física e emocional com o meu corpo. Sei que só conseguia comunicar com os olhos. Sei que as únicas coisas que comunicava eram dores musculares e serenidade na mente. Sei que a sensação de estar no mar passou a ser de uma liberdade muito concreta. É de um tempo que não passa. Uma sintonia diferente de todos os outros contactos com o mar. A minha experiência com o surf ficou por ali, mas a vontade de voltar a experimentar ficou cá guardada. Agora percebo um bocadinho mais do fascínio por esta forma de estar com o mar. Percebo mais um bocadinho do respeito e da admiração pelo mar. Por tudo (e só) isto fascinam-me as notícias, imagens e vídeos do que se passa na nossa praia do Norte, na Nazaré. Andam por lá uns loucos, que não devem ter coração, nem pêlos no corpo, a surfar ondas gigantes! O recorde mundial, deste tipo de loucura, foi batido o ano passado por um Ser chamado Mcnamara. Ele conseguiu colocar-se em cima de bloco de água salgada com cerca de trinta metros de altura. Este ano, por estes dias, eles estão por lá a tentar mais Adamastores... Eu fico deste lado, de boca aberta e pêlos eriçados, a olhar para estas imagens. 

Europa - Portugal - Norte Litoral - Nazaré 

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Rodeada pelos melhores

Não estou rodeada de muitos, mas estou rodeada pelos melhores. O melhor filho, os melhores pais, os melhores amigos, os melhores profissionais, os melhores alunos... E tenho a certeza disso quando caminho com eles, quando partilho, cresço, paro, rio, choro... Tenho a certeza disso quando a única melodia que existe entre nós é a verdade, e é nela que dançamos Vida e onde não há risco de tropeçar. Tenho a certeza disso quando o meu corpo relaxa só porque cheguei perto, ou oiço a voz. Tenho a certeza disso quando o meu corpo ecoa o mesmo vibrar. Tenho a certeza disso quando a minha pele é capaz de se "co-mover" com a mesma sensibilidade e de se "como-ver" com o mesmo olhar. Tenho a certeza disso quando o meu corpo diz "tu és muito eu"... e hoje tive tantas destas certezas!

Preciso

Preciso daquele abraço que, em vez de partir os ossos, unifica os meus bocados soltos e me torna ainda maior.

Embrulhamo-nos neles

Embrulhamo-nos neles para nos aquecermos, mas quando as coisas ficam frias, só faz sentido despirmo-nos daqueles trapos da saudade...

O meu nome e o teu

O meu nome e o teu não rimam, mas fazem muito sentido.

domingo, 27 de outubro de 2013

Fim-de-semana cheio de pôr-do-sol

Quando no meio da tempestade surge um raio de sol... é bom poder parar, contemplar e agradecer. Deixar que ele nos aqueça a alma e o peito. Deixar que ar quente nos volte a levar ao céu. O fim-de-semana em Lisboa podia ser perfeito, não o foi (por pouco), mas a luz desta cidade, o calor do sol, a luminosidade do rio fazem com que as "nuvens cinzentas do dia-a-dia" se transformem em andorinhas! Poder contemplar um pôr-do-sol é das coisas que me fazem sentir sortuda e abençoada! Outra coisa que me provoca esta gigante sensação é estar rodeada de gente boa, honesta, alegre, leve-leve, e quando, com 38 anos, continuamos a conhecer gente que se enquadra na descrição anterior... é um pôr-do-sol na vida! E se, esta gente nova se juntar a ti numa manifestação, e em conjunto as nossas vozes gritarem, é mais outro pôr-do-sol! E se, depois de tudo isto ainda pudermos petiscar, conversar, rir, cantar, delirar, brincar... não será novidade dizer que é mais um pôr-do-sol! Ou seja, para além da mãe natureza me ter oferecido um fim de semana com sol e calor, eu ainda tive o bónus de poder sentir, ver e conhecer vários pôr-de-sol nestes dias!
Obrigada por me aquecerem a alma e o peito

Manifestação "Que se lixe a Troika"
26 outubro, Lisboa
"Gatunos"

Manifestação "Que se lixe a Troika"
 26 outubro, Lisboa
"Gatunos"

Manifestação "Que se lixe a Troika"
 26 outubro, Lisboa
"Gatunos"
(frente à Assembleia da República)

Manifestação "Que se lixe a Troika",
15 setembro 2012,  Lisboa
"Gatunos"
É o nosso slogan, infelizmente não muda. É o nosso cartaz, infelizmente não muda. "Gatunos" a manifestar desde 2012.
E depois de uma Manifestação nada como retemperar numa Taberna Portuguesa onde tudo é português, desde o naperon ao copo da imperial, onde "não há caracóis, só cabelos lisos", vale a pena a visita. Simpatia, boa confecção e bom gosto.


Folhado de Olhão com sorvete de limão

Imperial em copo de barro está sempre fresca!

Tiborna de tomate 5*****

Individuais da mesa
(folhas A4 pautadas ou quadriculadas)

O saquinho do pão! 

O café que vem dentro da terrina de barro

A conta de uma pessoa,
 copo pequeno com direito a oferta portuguesa
um peitoral e uma pastilha Gorila

Vários cafés acompanhados de línguas de gato

A conta de várias pessoas
trazida num cesto
acompanhado de rebuçados peitorais e pastilhas Gorila
E ainda um Domingo de sol a comer pizzas, num lindo jardim... em resumo, boa gente, boa comida e boa folia... já dizia o poeta "comer e beber oh trim tim tim passear na rua!" 

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Abraço

Dá-me um abraço para que eu possa esvaziar a mente do mundo e os teus braços serem o melhor lugar.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Não Concordo, LuxWoman !


E andámos a "Não concordar" por aqui, na revista LuxWoman, deste mês de Novembro... porquê? Por isto...

"Concorda com a alteração do estatuto do ensino particular e cooperativo que, segundo o MEC, permite às famílias terem mais liberdade de escolha da escola e financiamento para frequentar o ensino privado?

Não concordo. 
Não confio em medidas de educação que sejam um negócio. Não concordo que o Estado deixe de ter crianças e passe a ter um “valor monetário à cabeça”. Uma democracia cresce com bases fortes em educação e saúde. O Estado, em primeiro lugar, deve assegurar a excelência em si. Porquê um contrato? Porque na política educativa deste governo as pessoas são dinheiro, e não pessoas, porque se o fossem existiriam compromissos entre o Estado e os que o constituem. Esta política quer competição, números e resultados em dados mensuráveis. As alterações são contratuais e de empresa para empresa onde a mercadoria é a criança. Se o Estado confiasse em si, deixaria os Privados e Cooperativos continuarem na sua autonomia pedagógica e melhorava-se a si próprio. Estes contratos são a degradação do sistema público de ensino e dos valores de Democracia. Equidade é quando todos têm as mesmas oportunidades independentemente da sua capacidade financeira, e a escola pública deverá ser o primeiro local de investimento do Estado. "

É oficial: ele já sabe ler (letras, palavras, frases) !!!!

Entre chuvas e vendavais havia senhoras com chapéus a destaparem as cabeças da água, caracóis alisados, saias nos cotovelos, bocas nos cabelos e uma tendência natural para a queda, de tudo. Hoje fizeram figas e rezas para que eu caísse dentro do temporal, mas, infelizmente, já há muito tempo que não caio numa poça de água. O vento leva-me a paciência e a chuva, o sorriso. Quem me conhece sabe que sou incapaz de olhar para um temporal e ficar feliz... "sim, as plantas precisam", "ai já fazia cá falta", "isto é bom para limpar os astros", "ai as minhas varandas andavam tão necessitadas de uma água". Quem me conhece nunca me viu a fazer poesia com a chuva, nem a imaginar que as gotas de água falem umas com as outras, nem tão pouco a pensar que estas fizeram uma viagem agradável a infinitos quilómetros por hora. Mas... quem me conhece, hoje, ia ficar tão feliz/espantado/petrificado/embasbacado ao ver-me no meio de um temporal! Tão feliz! 

Passo a explicar: vento é sinónimo de mudança, correcto? Há três dias que Portugal é assolado com ventos tempestuosos, correcto? Ora, certo é que os ventos trouxeram a mudança! Sinais cósmicos ergueram-se à minha frente, sem eu ter hipótese de os ignorar. Sinais escritos no vento, sinais de escrita, sinais Na Escrita! Um momento de mudança em Mãe Sabura e, em seu Guerreiro de Voz Branca, aconteceu. O da mãe fica um pouco mais ao vapor, mas o do filho é anunciado com tanto, tanto, tanto orgulho, vaidade, lágrimas de alegria nos olhos... 

É oficial: o meu filho sabe ler letras, palavras, frases! Sim, porque as outras leituras já as fazia (do mundo, das emoções, das cores, etc.). Faltava-lhe esta! E já sabe, sabe, sabe!!!

Juntar-lhes os sons e lê-las, com lógica, facilidade, sentido!!! Ui !!! Ele sabe! Ele fez o "click". A minha máquina de sentimentos bateu a ritmo alucinante, acreditem. E sobretudo porque, sendo uma das minhas áreas de estudo, eu sei que aquilo é muito difícil e implica tanta coisa na vida (de cada ser) para acontecer de forma correcta e prazerosa. Ninguém se lembra dos mecanismos que utilizámos para começar a ler e a escrever (as letras), tal como ninguém se lembra do primeiro fôlego de ar... defesas muito bem construídas no nosso cérebro, lá está! A verdade é que, tal como em todas as plantações, o terreno - da leitura e da escrita - também tem de ser amado, semeado, cuidado, regado e fortalecido. Depois de todo este trabalho, e entrega, é aguardar que apareçam as primeiras sementas germinadas! E foi o que aconteceu hoje. Elas apareceram! Com pés de veludo aproximei-me, espreitei e ouvi-as. Que emoção tão, mas tão grande. Emoção, que me faz acreditar ainda mais em todas as minhas convicções que tenho acerca deste assunto. Histórias, palavras, respeito, prazer, música, livros, leituras a par, a colo, do mundo... por aí fora! Foi um momento registado em foto e em audio, claro!!! No Sabura deixo a foto das frases que eu construí e que o Guerreiro leu passo-a-passo e sem entrave, pensando nos sons e olhando o grafismo de cada uma das letras (a última é non-sense porque vínhamos no carro a falar do "oi, tudo bem?" e do "ói, tudo bem?" daí o Boi ter ido à escola!). Temos sorte com a professora? Sim! Mais que isso, confio no seu amor (acima de tudo) e por essa razão fico ainda mais feliz. 





quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Esta noite assim será...

Esta noite
o teu peito servirá de poiso aos meus pensamentos, 
a tua perna apoiará o meu caminho, 
a tua mão aquietará os cabelos revoltos pela tempestade dos dias,
o teu coração baterá para eu adormecer ouvindo a tua história,
e respirarás para eu me embalar na tua cadência, na tua vida.

Sala de aula às vezes é dormitório

Por anormalidade, defeito de fabrico* ou outra qualquer demência, acho maravilhoso de cada vez que um aluno meu adormece enquanto dou uma aula. Tento não pensar no que se passou antes de ali chegar (família, vida, hábitos, etc.) e concentro-me apenas no que pode descansar enquanto ali está. Bonito é ver os colegas passarem do "falar alto" para o "sussurro" para não acordarem quem dorme. Ainda mais bonito é ver a cara deles quando acordam. E reparador da minha alma... é o momento em que os outros colegas vêm até mim fazer queixa do que dorme, e há um que diz "shhhhh... cala-te, não sabes que a professora conta histórias e isso faz adormecer?!"

*sou uma mãe muito "chatinha" na questão da importância das horas do sono e uma profissional que, quando for "Patroa", instituirá 30 minutos de sesta!

Saudade

Saudade é a distância certa entre ser e desejar.

Na Muda da folha

Já dizia o meu avô Mário que é no rebentar e cair da folha que as mudanças acontecem...

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Mantra do dia


Local: Vila do Bispo
Olhos e mãos: Rita Alves
Mantra: Rita Alves

Está lá no fundo

Está lá no fundo. Voltas a olhar para teres a certeza. Esfregas os olhos, beliscas o corpo. Inclinas-te para dar o primeiro passo. O peso nas costas puxa-te para trás. Páras. Olhas novamente para te "bicertificares". Confirmas que sim, está lá. Inspiras, fechas os olhos, expiras profundamente. Inclinas o corpo. Acomodas o peso na curva do teu tronco e sais a voar. Depois da primeira subida, abres um olho. Estás lá em cima, em pleno voo. Abres o outro olho e sorris. Sorris cada vez mais, tanto quanto a velocidade que levas. Bates as asas com maior velocidade e o teu sorriso vai crescendo. O tamanho do teu sorriso fica sem medida. Descansas. Ali ficas a planar e a contemplar. Voltas a ganhar velocidade, voltas a subir. A tua sombra deixa de existir, agora és somente um, como uma barriga de gémeos. Um pleno amor. O teu corpo flui em direcção a ela. É brilhante, clara, leve, feliz. Nunca chegas, é uma Luz de Esperança. Nunca chegas, mas nunca desistes dela. Continua a voar...

Aviso à navegação - via verde

Um breve aviso à navegação...

Condutores que circulam com a Via Verde, vocês sabem que só podem utilizar um identificador da Via Verde para um carro, ou seja, um identificador=uma matrícula?! Que apesar de sermos donos de uma frota automóvel e de sermos donos apenas de uma conta bancária, temos de ter um identificador para cada carro. Ainda bem que o sabem! Ainda bem que se lembram das letrinhas do contracto, e não fizeram como "moi", que anda à multa da Via Verde desde que abati o último Opel, e não alterei a matrícula para o novo carro. Conclusão: há identificadores das Auto-estradas que conseguem detectar que aquele identificador não pertence àquela matrícula (apesar de o dono do carro ser o mesmo, a conta a mesma...) e quando assim acontece não somos fotografados na entrada da Auto-estrada, mas somos fotografados na saída. Segunda conclusão: pagas o valor da Auto-estrada x 10! (mais as custas do processo fiscal, mais as custas de alguém se ter preocupado com aquilo, mais as custas de alguém ter suspirado ao enviar-me uma multa, mais as custas da folha ter mudado de secretária em secretária...).
Eu sei que nenhum de vocês anda a passar com uma Via Verde que não corresponda à matrícula do carro. Só eu, há seis anos (porque todos os carros estavam em meu nome, bem como a conta bancária, e achava normal o cruzamento de dados quando abati o último carro). No entanto, nunca é demais deixar este aviso...
É tão bom acordar com cartas de amor da Autoridade tributária e aduaneira! Tão bom! Um grande Bem Haja a todos estes senhores tão preocupados e zelosos!

Mantra do dia

Hoje peguei num papel que me tinha escrito e reli as palavras que me ficaram coladas à memória:

"Continue a ser o junco que,
aparentando fragilidade, é forte, oscila, 
verga mas não quebra. Após a passagem 
do temporal lá continua verdejante, direito, 
dando-nos ensinamentos de humildade,
serenidade, paz"

(Trato delas com amor e também as limpo! São um mantra para mim. Obrigada. Beijos vermelhos.)

domingo, 20 de outubro de 2013

Momento Sabura 20 Outubro, do virtual ao real

Há momentos que são bons só porque sim! É a velha história do amor verdadeiro, de quando se ama de coração despido. Hoje aconteceu mais um deles. Beijo Sabura encontrou-se com um leitor, seu fã, no mundo real. Alguém que admira a escrita que aqui fica colada. Alguém que hoje viu na pele a memória destas minhas escritas. Dança, viagens, Lisboa, luz, mar, Aveiro, sensibilidade, serenidade... são as características que hoje testemunhei nesta pessoa. Já as imaginava, pela sua aventura na escrita aqui, nas Aventuras de Escrita e pelo seu perfil virtual. 
E o melhor? Sabem quando achamos que já nos conhecemos há anos e na realidade só passaram dez minutos? Foi isso que aconteceu no encontro de hoje. E eu fiquei feliz, muito! "Estamos rodeados pelas melhores pessoas do mundo" dizia-me esta pessoa Sabura, e é bem verdade... eu também tenho essa sorte!

A suprema felicidade

Ontem os imprevistos deram lugar a um pedaço de tempo ocupado com este filme. "A Suprema Felicidade". E gostámos e é recorrente pensarmos o que é a nossa felicidade, por onde queremos semeá-la, o que queremos colher dela. Quanto a respeitamos? Quanto nos respeitamos? Quanto investimos nela? Quanto investimos em nós? Quanto arriscamos pela felicidade? Quanto arriscamos por nós? Como conseguimos olhar o espelho e não ver uma imagem feliz? O que fazemos para olharmos o espelho e ficarmos ofuscados com tanta luz própria? 
Ocupamos um Tempo, uma Era, em que a busca da Felicidade é cada vez maior. Worshop's, cursos, coaching, cozinhados, rodas e círculos... andamos à procura do farol para que este nos ilumine.
Antigamente, quando nada disto havia ou acontecia, como é que as pessoas viviam a Felicidade? Como procuravam as pessoas a Felicidade? Nas relações pessoais? Na sobrevivência? Na construção de um mundo melhor? A acreditar no futuro? ... Tanta coisa que hoje temos à disposição para nos ajudar a ser feliz, e se calhar, a simplicidade continua a ser a resposta. A simplicidade no olhar tornará tudo mais feliz? Aquele primeiro olhar, o das crianças, é o truque? Felicidade é relativa, não tem a mesma medida para duas pessoas adultas, mas nas crianças parece que a bitola é a mesma...     


sábado, 19 de outubro de 2013

Capitão Vinícius de Moraes... agarrem-se, vamos voar

Hoje é dia de poesia barrada no pão! Hoje é dia de Lua Cheia! Uma Lua tão grande que certamente irá puxar pelos cantos da boca de todos os que a namoram. 

Hoje o Capitão Vinícius de Moraes completa 100 anos! Se ele não tivesse a mania de viver cada segundo como um infinito, ainda hoje ele criava para nós.
Que testemunho de vida tão verdadeiro, Vinícius. Como o vosso, certamente! Todas as vidas são verdadeiras. Sejam quais forem as regras do jogo que escolhamos. Vinícius era um apaixonado pela vida, pela palavra, pela música, pelo amor. A sua regra era celebrar a vida e amor.

Para o resto deste dia deixo-vos o documentário da vida deste "Poetinha", maior que todos os Poetas. Procurem os vossos respectivos, deixem apenas uma luz ligada, encaixem-se um no outro e "play"... No caso de não haver respectivo, mantenham uma luz ligada, vão buscar um copo de bom vinho, estiquem-se à vontade no sofá, garantam todas as almofadas só para vocês e adormeçam com o Vinícius por perto...


sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Tempo e Silêncio



Estar no presente, olhar o futuro, saudar o passado. Não encher o presente com o passado, não esvaziar o futuro com o presente. Ficar velha como O Tempo, nunca Ele esteve, nem estará, Ele é! Deixar que o Tempo me marque. Tomar o tempo certo ao Tempo. Morar dentro do Tempo. Parar dentro dele, para sem Tempo, poder Amar.

APP Desconhecida

"Claro que era Impossível eles não saberem que o mundo era redondo!!! Achas que eu não sei que eles tinham umas Aplicações nas espadas?!"

"Faça o download free da sua APP e fique a conhecer o que desconhece"... 




quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Momentos épicos 1,2,3


Primeiro Lugar vai para:

"- Sim, o T. disse-me: tooooooommaaaaaaaa! E eu não gostei.
- Que tontaria, mas porquê?
- Por causa dos Beyblades.
- Mas tu tens tanta coisa, não é? 
- Sim, e sabes o que é que eu lhe disse? Tooooommaaaaaaa... eu tenho muito mais amor que tu !!! ... Ele anda sempre sem amigos"

(Prémio: "Hoje-levas-o-Óscar-e-amanhã-vamos-lá-ajudá-lo")


Segundo Lugar vai para:

"- Se hoje é o primeiro dia do ano que experimentas um fruto, tens de pedir um desejo.
- Okey...
... já está
... vou dizer-te baixinho ao ouvido... 
...que seijamos felizes! ...
... Ai, não!
- Não ?!?!?!?!?!
- Não, quer dizer, não é seijamos, é sejamos!
- Ahhhhhhhhhhhhhhh... também desejo que sejamos!"

(Prémio:"quase-provoquei-um-avc-à-minha-mãe-mas-desta-vez-escapou")


Terceiro Lugar vai para:

À partida o almoço estava condenado. Pouco sal em tudo, excepto na companhia. Um Homem de muitas décadas de idade convidou-me a sentar e ali me deu mais uma lição acerca da Humanização do desporto. Ali me falou do que devemos fazer para levantar uma sociedade. Ali me temperou uma hora de refeição com um dos meus "temas-alerta": a Humanização na Educação. Terminámos a conversa, não o almoço. Eu levantei-me para tomar café. Ele ficou a falar com Jesus.

(Prémio: "Melhor-Humanizador-da-História")

Mantra do dia ...


Local: Sagres
Mãos e olhos: Rita Alves, 2013
Mantra: Rita Alves


Um verde fluorescente

Ainda do dia de ontem...

O Quintas estava animado e calmo. Os manos vieram buscá-lo e ele não quis sair, preferiu acabar o trabalho que eu tinha proposto.
A turma tinha regressado de um passeio e estavam todos comigo. E todos são muitos. E muitos ao final do dia são o caos. Mas a surpresa foi que eles não estavam em estado eufórico ou de campo de batalha, eles, mas em especial um elemento do grupo, que colecciona queixas dos professores, repetente, mal educado, ofensivo para com todos. Estranhei-o mas aproveitei a sua calma para dar início à actividade. Hoje íamos explorar a história "Come a sopa, Marta!" (da Marta Torrão, ed. O Bichinho de Conto). Começámos "a viagem" e ele continuava sossegado, de queixo caído a olhar para mim - até podia ser amor, mas por norma ele demonstra-o com murros, palavrões, saídas sem autorização, etc. . Numa parte da viagem literária tive de parar e sussurrar-lhe ao ouvido "Estás bem?". Já não aguentava mais aquele comportamento "estranho". Todos eles sabem que sou intransigente nas paragens das histórias. Todos eles sabem que se eu paro é por alguma razão Muito Extraordinária. Todos eles sabem que há hipóteses de o herói da história morrer se nós lhe pararmos a vida. Aquele momento era Extraordinário. Teve de ser, nem eu estava na história, nem a história estava em mim... Sussurrou-me ao ouvido "Tenho fome, Professora. Ainda não lanchei e não tenho cá o lanche."
O meu ar de espanto era semelhante ao tamanho da fome dele. "O quê?! Com fome? Sempre soube que é impossível ensinar a quem tem o estômago vazio, mas tu com fome ficas assim?! E nos outros dias, é excesso de açucares no sangue?!" Turbilhão de pensamentos entre o meu Tico e Teco.
Como nada é por acaso, ontem tinha levado lanche porque iria chegar tarde a casa. Discretamente ofereci-lho e pedi-lhe que o comesse sentado. Comeu. Eu fiquei à espera do "estalo de energia" dado pelo bolinho de arroz que ingeriu...nada. Escutou, trabalhou, responsabilizou-se pelo material, obedeceu à regra de trabalhar com amor, investiu e passou uma hora assim... Na auto-avaliação disse merecer uma "bola amarela" (por norma tem a vermelha="Fiz tudo errado nesta aula"). "Amarela porquê?!" perguntei eu. "Atão Professora, é bom não é?!", "Pois, comparado ao teu passado é Muito Bom. Mas hoje não vais ter amarelo, vais ter verde pela primeira vez. E fluorescente! Obrigada por estares com amor. Beijo na minha bochecha."
Arrumar, sair e continuar atônita... "Seria da fome? Eu fico irritada com a fome. Seria cansaço? Eu fico irritada e com olheiras, com a fome. Seria mesmo a falta de comida no estômago?!" Às vezes há comportamentos estranhos que nos surpreendem tanto pela positiva!

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Dia Mundial da Minha Alimentação

Neste Dia Mundial da Alimentação só me vem à memória esta ementa:


"Ovos mexidos, camarões, sopinhas

molhos, filés com fritas, comidinhas

galinha com uma rica e gostosa farofinha"



e para sobremesa:


"Peitos de anjo"