terça-feira, 11 de julho de 2017

Na cicatriz que te fica na pele e na memória dela


Na cicatriz que te fica na pele e na memória dela


A cicatriz que fica que te lembra daquilo e daquel'outro

A cicatriz que nos leva de volta àquilo e àquel'outro

pudéssemos virá-la do avesso e ver o que verdadeiramente a provocou

e a mantém ali... parada e estática

A cicatriz que nos leva a viver sempre naquele tempo

sentindo o que provocou o corte

foi aventura? Foi inconsciência ou consciência? Foi descuido? Foi alegre? 

Ficas com uma bela mansão naquele desenho

há dias em que voltas a cair naquele recorte

há outros dias em que nela te refugias e levantas os pés do chão só de a contemplar.

Na cicatriz que te desenha a pele, fica a esperança de não a esticares demasiado, a memória




2 comentários:

  1. A nossa condição humana faz-nos um pouco masoquistas....Envolve-nos numa certa melancolia necessária ao nosso "ego" como quando sentimos o provocou o corte, será de uma certa forma a necessidade de colmatar o que ficou pendente? Por dizer? Por fazer? Não sei...Apenas sei que olhando as cicatrizes sentido que aprendemos com elas, somos mais felizes. Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Toda a razão Suzana, obrigada. Beijos Sabura

      Eliminar