terça-feira, 28 de abril de 2015

sincrotação, desesão, deusconstrução, grimor, sorrionde



Ontem, à hora certa, recebi uma mensagem, com as palavras certas.

Tive tempo para pensar nelas. Tive tempo para pensar como gostaria de me encaixar nelas. 

Será que todas as palavras já foram, mesmo, inventadas? Mesmo?

Quando se mistura a palavra "sincronismo" com a palavra "inquietação"... é "sincrotação"?

Quando se mistura a palavra "desejo" com a palavra "ilusão" ... é "desesão" ou "decepção"?

Quando se mistura a palavra "construção" com a palavra "adeus" ... é "deusconstrução"?

Quando se mistura a palavra "lágrima" com a palavra "amor" ... é "grimor"?

Quando se mistura a palavra "sorriso" com a palavra "esconde"... é "sorrionde"?

Quando se mistura a palavra "vida" com a palavra "pleno" ? ... é uma vaidade? ou falsa verdade? 

Ontem, à hora certa, recebi uma mensagem, com as palavras certas. Sofri de sincrotação naquele momento. Aquela mensagem fez-me pensar na minha falsa verdade, às vezes disfarçada de verdade, outras vezes vestida de sorrionde. Para que serve a deusconstrução se não para cavarmos a nossa desesão? Vai daí, desceu-me um grimor pela face, porque o que eu queria mesmo era que aquelas palavras se tivessem sincronizado com a minha quietude...

As palavras que me inventaram foram,

“Tell me, what is it you plan to do
with your one wild and precious life?”

(na hora certa, Mia)







Sem comentários:

Enviar um comentário