sexta-feira, 5 de abril de 2013

All my bags are packed i'm ready to go

Ontem e hoje ando com esta na cabeça...

All my bags are packed I'm ready to go
I'm standin' here outside your door
I hate to wake you up to say goodbye
But the dawn is breakin' it's early morn
The taxi's waitin' he's blowin' his horn
Already I'm so lonesome I could die

So kiss me and smile for me
Tell me that you'll wait for me
Hold me like you'll never let me go
Cause I'm leavin' on a jet plane
Don't know when I'll be back again
Oh babe, I hate to go...



De todas as mudanças de casa que fiz até hoje, esta é a que está a ter mais resistência. Por norma mudamos para melhor, quando é para igual ou pior a coisa fica com outro sabor, deixa-nos com menos força "anímica" e por vezes dá vontade de pedir a demissão. MAS... resistindo a demissões e fracassos, aguentamos e aceitamos tudo como uma dádiva de amor, certo? Aceitamos que tudo acontece pelo melhor, que nada é por acaso e que somos o espelho da vida. O que damos, recebemos. Eu dei, dou e continuarei a dar. 
Agora a vida deu-nos uma mudança, e nós só temos de lhe responder com outra mudança. Vamos mudar de casa. Estivemos quase três anos a viver num ninho cheio de boas energias, com luz, num local sossegado, com vizinhos conhecidos, e que, naturalmente, deixou boas e más memórias. Amanhã faremos uma breve pausa no ninho dos progenitores, para depois poder ultrapassar a fasquia mais alta. E esta fasquia é o nosso (se calhar mais meu) sonho. Um sonho com chão de tábua corrida, paredes e portas brancas, luz natural, passeios a pé. Sonho de não usar o carro para todas as deslocações e ter proximidade da rede de amizades. E tal como eu ensino os meus alunos a serem Guerreiros do Arco-íris nunca desistindo dos seus sonhos, também nós nos vamos transformar e continuar a acreditar que é possível. Mudanças de casa parece ser o mais comum a esta altura do campeonato. Conheço alguns casos, e muitos outros vão chegando no "boca-ouvido". Esta maldita crise, está a obrigar muita gente a estas mudanças de caminho. Muitos atalhos dramáticos, muitos cortes de estrada a acontecer. A nossa mudança não é dramática, obriga apenas a um exercício profissional de "hula-hula" amoroso entre filha e pais! Vão ser três meses a treinar hula-hula e lá para o verão (se ele aparecer) teremos o Campeonato Distrital em Lisboa.Tenho sorte em poder fazer este estágio? Sim. Tenho sorte de poder ser ajudada? Sim. Tenho sorte na vida? Sim. É transitório? Sim. É difícil? Sim. Podia ser pior? Sim. Tudo positivo!!! A coisa que mais dói é que somos obrigados a estas mudanças porque alguns governantes (de ontem e de hoje) aprenderam umas teorias económicas, aplicaram-nas, correram mal e isso afectou a vida de muita Gente. A Vida, não o dia ou a noite. Felizmente eu, cidadã comum, posso chegar a casa e estar a brincar com o meu filho; posso rir, dançar, cantar, namorar, passear, viajar, silenciar, contar... e adormecer leve, sem o peso na consciência de andar a matar Vidas.  
Seremos Guerreiros do Arco-Íris e continuaremos a olhar para o céu e a lançar a nossa seta. 

7 comentários:

  1. Que seja um cantinho feliz...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai ser, Sandra...tem de ser! Beijos Sabura! Obrigada!

      Eliminar
  2. Respostas
    1. João obrigada! Continuo à espera do bacalhau com DVD! (Qualquer dia passamos para sardine on carvon)

      Eliminar
  3. bom tudo,
    rita, neste ano louco e forte de fins e começos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dorinha muitas felicidades em dobro! Ano louco, sim... mas quando chegarmos ao fim estaremos ainda mais bonitos e mais fortes, certo?!

      Eliminar
  4. Obrigada bons amigos! Se o "beijo sabura" me serve como um exercício de fazer "parar o tempo", a vossa resposta consegue acelerar a minha alegria. Tudo de bom e muita Sabura na vida!

    ResponderEliminar