quarta-feira, 5 de junho de 2013

A morna

Tal como as histórias, há músicas que se colam à pele. Não sabemos o porquê ou como. O certo é que, de cada vez que elas nos tocam, fazem da sua pauta as linhas do nosso corpo ficando moldadas em nós, na perfeição. A clave de Sol inicia  e de imediato ficamos cobertos de Luz, deve ser por esta razão que a maioria das pessoas, quando escuta "aquela" música, fecha os olhos e ali fica a ser embalado, de sorriso nos lábios. Às vezes, as curvas das notas aninham-nos e até recebem uma ou outra lágrima salgada, no seu doce balançar. Hoje foi a morna (de Dudu Araújo)

Sem comentários:

Enviar um comentário