sábado, 18 de maio de 2013

Coadoção

As notícias da coadopção das crianças por casais homossexuais deixam-me com as entranhas às voltas!
Há muitas coisas que continuo a não perceber. Nesta sociedade portuguesa, situada a sul de uma península, onde todos os dias se vive em harmonia com a natureza, porque raio estragar este equilíbrio, não é?! Estávamos tão bem, entre os melhores valores, com os melhores exemplo e de repente "brotam" uns seres esquisitos a querer estragar tudo... por favor...
Há coisas que não percebo... como é que uns senhores com uma vida impecável, que nunca praticaram qualquer tipo de acto ilícito, que apenas querem o bem da nação, das suas famílias e dos seus filhos... conseguem sequer pensar nestes seres esquisitos que por aí apareceram... uma praga, mesmo. Por favor...
Há coisas que não percebo... como é que uns senhores com uma vida impecável, mulher, filhos, casa, férias, a transbordar de amor conseguiram aceitar que uma família esquisita possa adoptar uma criança? Mas será que não percebem que isso é o pior dos exemplos? Que as crianças ficam traumatizadas, a pensar que a vida é feita a pares de um só género. Que nestas famílias esquisitas não há amor verdadeiro?... por favor...
Há coisas que não percebo... como é que continuam a existir casais heterosexuais a maltratar crianças, pessoas a fazer crescer a alienação parental mas que podem e têm tudo o direito a estar, adoptar, violar, mal tratar... por favor...
O que faz a diferença entre as famílias?! Género ou amor? O que faz uma família? Dois? três? Um? Amor?! Respeito?!

Se calhar, o país dos descobrimentos está a ficar cada vez mais em terra... Mas como Há coisas que eu não percebo, deixo-vos com quem entende do assunto José Morgado, querido professor do Instituto Superior de Psicologia Aplicada http://atentainquietude.blogspot.pt/2013/05/familias-e-criancas.html


....

Sem comentários:

Enviar um comentário