quarta-feira, 6 de novembro de 2013

O Alves vai ao wc

O Alves não consegue ficar parado, quieto, em silêncio durante mais de três segundos. Tudo está desajustado de si. O tamanho das secretárias, a altura das cadeiras, a distância do quadro, o seu tamanho da sua idade... o Alves não é um inadaptado, é só um desajustado. Às vezes é desapropriado, muitas vezes é desagradável, outras vezes é um desatino, todas as vezes provoca desacatos. O Alves não é um INA. é um DESA. Tira-me do sério e a voz. Absorve-me o limite da paciência e faz desencadear em mim uma corrente de choques eléctricos, que em vez de produzirem sinapses, produzem um barranco capaz de albergar todas as espécies animais e vegetais deste planeta! O Alves é um menino com sete anos, que tem cerca de 120 cm de tamanho físico, e uns 300m de tamanho de capacidade de irritar os outros. E atinge-me. E atinge-nos. Sempre. Hoje, sob o efeito de alguns comprimidos para uma gripe, pensei que o caso fosse mais fácil. Sentia o meu cérebro flutuar dentro dos meus vinte e dois ossos do crânio e, pensei que desta forma, a irritação não iria ter espaço para entrar. Engano... entrou e ecoou. O Alves parecia estar possuído por um Belzebu, um Demo do Bairro. Parecia não... eu garanto que estava! E tanto estava que, chegou ao ponto de me perguntar: "Oh professora, posso fazer porcaria?! É que assim - a fazer porcaria - eu porto-me bem!"  Ai Alves, Alves, Alves... 10, 9, 8, 7, 6... 1, 0... Nem a fazer "porcaria" se portou bem. Nada resulta?! Nem a fazer "porcaria"?! Então, se nada resulta, nem a fazer "porcaria"... o melhor é rezar para que alguém o venha buscar mais cedo!!!  10, 9, 8, 7, 6... 1, 0 ... nada, ninguém aparece. Ele vai sozinho. Então, se ele não vai embora mais cedo... o melhor é mandá-lo embora discretamente, ou seja, aos bochechos!!! 10, 9, 8, 7, 6... 1, 0 ... e resulta!!! Como? Eu explico: mandando o aluno ir vááááárias vezes à casa-de-banho num curto espaço de tempo, o tempo de uma história, no máximo 30 minutos. E tudo em prol da sua higiene pessoal, e da higiene mental da turma! E resulta! Aqueles 2 minutos da sua ausência são de paz! E tudo é feito sem que ele próprio se aborreça ou aperceba. Só os colegas estranham eu chamar tantas vezes o Alves para ir ao quadro escrever e, a seguir, mandá-lo à casa-de-banho lavar as mãos! 

"Alves vai lavar as mãos!" ele vai... silêncio na sua ausência. O Alves entra e acaba a paz. 

"Alves vai lavar a cara!" ele vai... silêncio na sua ausência. O Alves entra e acaba a paz. 

"Alves vai lavar novamente a cara!"... "Oh professora mas o que ele tem na cara é uma ferida! Não é sujo!"... "Não interessa, é para não infectar. Estas salas pouco arejadas estão cheias de micróbios!" ele vai... silêncio e paz... 

"Oh professora já reparou que, de cada vez que o Alves vai à casa-de-banho nós deixamos de ouvir barulho?!" 

Bolas... fui apanhada!

Sem comentários:

Enviar um comentário