terça-feira, 5 de novembro de 2013

Prova de amor

Todos sabemos, aplicamos e lembramos as máximas da Lei da Vida: "Nada acontece por acaso" e "Se a vida te coloca isto à frente é para tu olhares". Mas, às vezes, dá vontade de mandar "as máximas" aos lugares mínimos, baixar os braços, a cabeça, curvar o peito e apresentar as costas ao Senhor Universo. Dá vontade de dizer com todas as letras "Porrrra, já chega! Olha para outro lado agora! Irrra! Faz uma pausa de mim! Raça do gaiato (não sei porquê mas vejo o Universo como uma figura masculina ... trabalhinho para uma futura psicanálise...)". E é mais ou menos nesta altura que eu me passo e vou ter com o Rei Neptuno. Não lhe faço nada e espero tudo dele... até sushi a saltar-me para o colo! Não sei como se explica a sensação de "sugamento de más energias" que o mar faz. Não sei se é o sal, a água, as criaturas marinhas, os monstros, o reflexo da luz. Sei que o mar me ajuda a limpar as feridas internas e, para mim, é um antisséptico e cicatrizante poderosíssimo. Ontem, depois de ter pedido ao Senhor Pité (vulgo Universo) para ele olhar para outro lado, percebi que ele me ouviu e, entre o desviar do seu olhar e o voltar a focar-me, recebi um raio de luz! Uma benção. Uma verdadeira benção caída não sei muito bem de onde (nem ela própria saberá), mas caída no tempo e no lugar certos. E tendo eu conquistado todo o percurso católico sei que, "uma benção" é aquilo que sentimos quando, no meio de uma imensa neblina, somos tocados por um raio de sol. Seja ele um sorriso, uma palavra, um som, gesto, acção... seja ele o que for, mas seja ele oferecido num embrulho de amor e com um laço gratuito. E foi o que recebi esta manhã... uma benção, um raio de sol totalmente isento de impostos, provas de acesso e prazo de devolução. Gratuito. FreeTax. De borla. À borlix! E isso, cá para mim, é das maiores provas de amor. A minha nuvem cinzenta até pode continuar, mas fica muito mais calma, serena e feliz. O amor é simples. É o dobro, como diz um menino de 4 anos. É gratuito. Não pede para nascer, é vida, e por isso cura tanto.

Sem comentários:

Enviar um comentário