domingo, 11 de maio de 2014

Dois dias de viagens




Dois dias de viagens por entre paisagens bonitas e chegada à estação. Uma estação iluminada com luz natural e paredes forradas a afectos de ouro.

Obrigada a todos os que acompanharam, participaram e engrandeceram estes meus dois dias. Gente vinda de Mirandela, Macedo de Cavaleiros, Vila Real, Lisboa, Benavente, Setúbal, Costa de Caparica, Algarve, Seixal, Almada ... que, por respeito aos seus filhos e aos seus educandos, se deslocou de até Almada, para que estes recebem um livro com as suas palavras inscritas. Gente que deu os seus vários Tempos (emocional, físico, financeiro...) à Palavra, à Poesia.    

Tantos momentos mágicos...
A escritora Alice Vieira que nos fez rir à volta das suas Palavras soltas. 
A Violante Magalhães que, de forma tão doce, nos falou de um assunto menos feliz (Metas Curriculares) mas que tão tornou agradável ao percebermos a sua responsabilidade na introdução da poesia nestas. 
A Elisa que nos falou de uma Escada da Poesia na escola, que podem ver aqui
O Vergílio Alberto Vieira sempre desobediente nas linhas da escrita, mas tão obediente no amor às Palavras e às pessoas. 
A Anabela Libânio que, de forma tão delicada e bela, nos indicou o caminho da Poesia no Pré-escolar.
Ver chegar tanta gente, grande e pequena, que investiu em enviar-nos textos poéticos.
Ver tanta gente que sabe escutar o Outro.
Receber um ramo de flores e um abraço dado pela ceramista mais bonita de Monchique, a Clara Sousa Vicente, e que se fez acompanhar com umas meninas de coro lindas!
Ver pais, vindos de longe, a ficarem até ao final de uma cerimónia demorada (cerca de 2 horas) para me agradecerem e dizerem que foi um momento muito especial para os seus filhos.
Rever amigos. E sobretudo sentir que faz sentido o que faço.


Atrás destes cabelos cinzentos da Alice Vieira estava uma menina a ler e a cheirar um dos livros da autora

Violante Magalhães

O caminho para a poesia da Anabela Libânio

Anabela Libânio

O Vergílio Alberto Vieira
A directora do Instituto Piaget de Almada, Doutora Clementina Nogueira et moi, coordenadora do Cancioneiro

Cenário para o momento lúdico "Conta-me Histórias"


A Nasrin, aluna da ESE Jean Piaget de Almada, contadora de histórias

O Arnaldo, ex aluno da ESE Jean Piaget, contador e professor cooperante da Nasrin :)

Moi


A Paula, aluna da ESE Jean Piaget de Almada,  contadora de histórias
Moi com o ramo de flores chegados de um jardim de Monchique, a minha ceramista algarvia mais linda - a Clara, e a Professora Mª da Conceição Costa
A nossa plateia


Os vencedores a subirem ao palco e ao colo, neste caso o Mauro Colmeais (Mirandela) que nos disse o título deste Cancioneiro "As pessoas são sementes que crescem e não precisam de vento para mexerem"





 O exemplar do Cancioneiro e o exemplar oferecido pela Câmara Municipal de Almada "A minha bicicleta"

1 comentário:

  1. Obrigada Rita pela recepção que fez ao meu pequeno grande Poeta e a todos os outros. Foi lindo termos feito parte deste evento que é o Cancioneiro Infanto-Juvenil.

    ResponderEliminar