sexta-feira, 18 de julho de 2014

Não descobriram água na Lua?

É incrível o que o animal humano consegue. Mata, mata, mata e volta a matar sem pudor, pena, mágoa ou rancor. Acho que mais nenhum animal utiliza a morte, quase de forma gratuita, como o humano faz. Israel, Palestina, ataques aéreos, ataques à machadada, centenas e centenas de seres humanos mortos pelos da sua espécie. Lutas desiguais, feitas com mais ou menos dinheiro, com mais ou menos armas. Até nisso os humanos se tornaram cobardolas, já desde o tempo do ferro, do cobre e do dinheiro. Lutem, mas de corpo a corpo, sem arma nenhuma de ferro, metal, aço. Lutem com as mãos. Matem com as mãos. Se calhar nessa altura recusar-se-ião matar, mas assim é fácil. Lança o míssil, afia a faca, carrega a espingarda. Assim não és tu a matar, é a arma e na tua consciência está tudo limpo porque recebeste uma ordem superior e só o teu dedo obedeceu.
O animal humano emburreceu, estupidificou, embruteceu com o dinheiro e com o território. Não há nenhuma razão verdadeiramente válida para continuarmos a ver morrer gente em conflitos de guerra. Nenhuma. Nem territórios, nem religiões, nem interesses económicos. 

Quem provoca o conflito, quem quebra um cessar fogo devia ser punido por todos os outros países. Em uníssono. Não há desculpa, interesse económico que valide uma morte.

Não descobriram água na Lua? Mandem para lá os Israelitas que continuam a matar. Mandem os russos que continuam a matar. Mandem os BPN e mais os BES. Mandem o Isaltino Morais. Mandem todos estes seres que não dignificam a espécie, mas mandem sem dinheiro e sem armas para eles se entreterem a puxar os cabelos uns dos outros, a pedir desculpa, a curar a ferida do outro e a caminharem na mesma direcção... Farta de gente estúpida, senhores. Desapareçam do meu mundo. Desandem!
     

Sem comentários:

Enviar um comentário