sábado, 2 de março de 2013

Solo los besos nos taparán la boca

Vou manifestar-me, sim.
Ninguém se ilude ao pensar que uma, duas ou três manifestações resolvem alguma coisa. Ali, e no momento, ninguém vai com canetas para alterar a legislação ou as leis. Mas eu resolvo manifestar-me porque estou descontente, porque é um direito que tenho e, se nos juntarmos todos, a nossa voz ficará mais forte. Cá dentro e lá fora. E não posso deixar de gritar que estou descontente com os governantes que estão a afundar este país e que no fim, quando se der a implusão, serão eles os únicos a ficar bem (como sempre). 
Por isso, hoje me junto a muitos milhares a mostrar o meu descontentamento. Sei que ficar em casa a dizer que as manifestações não resolvem, deixa o povo em estado de águas de bacalhau. E eu, de bacalhau, gosto muito mas à Zé do Pipo. Se todos nós ficarmos em casa, pela razão de achar que não vale de nada,  os nossos políticos ainda ganham mais sorrisos na cara achando que o povo a tudo obedece e nada questiona.
Manifestemo-nos. Até já, às 16h no Marquês de Pombal (Lisboa).



1 comentário:

  1. Hoje perguntei a alguns adolescentes como se imaginavam daqui a 15 anos, se já tinham algum projecto de vida. Pergunta complicada para uma idade tão tenra. É mais fácil rir, brincar, fugir à questão, não pensar no complicado. "Sabem o porquê de hoje haver manifestações em todo o país?" - perguntei. Silêncio. Continuei..."Porque se luta por projectos de vida que parecem cada vez mais difíceis de concretizar. Luta-se por todos os sonhos do mundo que começam a surgir nas v/ idades." Silêncio.
    Estive um pouco na manifestação em Aveiro. Confesso que teimei em evitar as lágrimas e não consegui. Porque ali vi como acabam muitos sonhos de juventude. Não são só as condições materiais e financeiras que nos tiram. A esperança e a humanidade também nos são tiradas.
    Mas depois uma pessoa vê frases como "solo los besos nos taparan la boca" e uma energia vinda do recôndito de sei lá onde (das entranhas concerteza) tira-me um sorrindo interior enorme e isso só pode provar que a esperança, o sonho não morreu em mim.
    E se eu percebi o sentido do título deste blogue, o meu beijo sabura será mostrar a cada pessoa que se cruze comigo que não pode haver política neste país que nos derrube a vontade de viver.
    Até para minha própria sanidade emocional e mental...

    ResponderEliminar